quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Redutores para garrafas de oxigénio

No seguimento do texto Trabalho seguro com garrafas de oxigénio, publicado neste blog, o esquema explanado é referente a primeiros andares a pressão positiva. O seguinte texto é referente a primeiros andares denominados: a pedido. A grande diferença, é que os primeiros debitam sempre oxigénio constantemente, enquanto os segundos somente o fazem quando o doente inspira.

No estado não pressurizado, a válvula de alta pressão é mantida na posição aberta até à entrada do oxigénio. A entrada do oxigénio a alta pressão, flui através do filtro na conexão de entrada e atravessa o orifício de assento da válvula no lado de média pressão. Quando a pressão aumenta para 9,5 bar, exerce forte pressão sobre o diafragma principal comprimindo a mola de grandes dimensões. Isto permite que a pequena mola passe a fechar a válvula da alta pressão. Esta pressão média de 9,5 bar é constante, independentemente da pressão do cilindro.
Quando o utilizador inspira, a pressão média do oxigénio (9,5 bar ) sobre o diafragma principal cai, permitindo que a grande mola passe a empurrar o diafragma que, por sua vez empurra a válvula de alta pressão. Isso permite que, mais fluxo de oxigénio do lado de alta pressão flua até o utilizador deixar de inalar. A pressão acumula-se então para 9,5 bar, comprimindo a mola da válvula grande, permitindo à válvula de alta pressão fechar novamente.
Ver também neste blog, texto relativo a trabalho seguro com garrafas de oxigénio, de 25/Setembro/2010.

Sem comentários: